Planejamento, Sem categoria

Seguro de Viagem: porque não dá pra ficar sem?

Perrengue, aperto, sufoco… não interessa como você gosta de chamar e nem o que você faz para ficar bem longe dele. Uma hora ele aparece, e normalmente é quando você menos espera.

Quem já teve a experiência de perder uma mala em uma viagem entende o que estou falando. E quem já teve um problema de saúde durante uma viagem internacional talvez entenda melhor ainda.

Em todas as nossas viagens internacionais um dos itens obrigatórios para nós sempre foi o Seguro ou Assistência de Viagem. Nunca cogitamos sair do país sem ele, principalmente depois que chegaram as meninas e elas começaram a nos acompanhar. E mais ainda depois que eu tive um problema sério de saúde, que me faz ter alguns cuidados especiais na hora de viajar.

Costumo dizer que é o único “custo” de viagem que a gente paga feliz e reza pra não usar. E nunca usamos… até este ano.

Na nossa última viagem a Orlando, nossa pequeninha resolver ter uma daquelas febres altíssimas que aparecem do nada. Passou a noite assim. E aí… o que fazer? Não queríamos ficar angustiados, em um outro país, no meio das férias, tentando adivinhar se era algo maior ou não. Então, ligamos para a seguradora.

disney-doc-mcstuffins-game-app_39135_1

Para a nossa surpresa (e alívio), em menos de 1 hora já tínhamos um pediatra em casa atendendo a pequena. Super atencioso, examinou ela com cuidado e verificou que a princípio não tinha muito o que fazer fora medicar com anti térmicos e dar muito líquido. Para ficarmos mais tranquilos, nos deixou uma receita de antibiótico para ministrarmos caso a febre não cedesse, e deixou também seu telefone para qualquer dúvida ou emergência que precisássemos.  E a liberou para os passeios, desde que com moderação. Em resumo, perdemos apenas algumas horinhas de passeio, mas tranquilidade para o resto da viagem.

Caso não tivéssemos feito o seguro, uma consulta destas – que foi para algo muito simples –  sairia praticamente o mesmo valor ou até mais do que pagamos pela apólice. Se envolvesse internação hospitalar ou até algum exame, os valores seriam altíssimos! E quando eu digo alto, é alto MESMO!!

Por isso, sempre considere no seu orçamento de viagem o valor do seguro, que costuma girar entre USD 80 a USD 100 por pessoa (com menos de 70 anos), para uma viagem de aproximadamente 10 dias.

Este valor varia de acordo com o local da viagem, idade, se a pessoa irá praticar esportes radicais e também com o valor da cobertura do seguro.

Abaixo vamos dar uma visão geral sobre o assunto para guiar você na contratação de seguro da sua próxima viagem.

Diferença entre Seguro e Assistência de Viagem 

Via de regra, chamamos de Seguro de Viagem toda a apólice em que o viajante pagará pelo valor dos serviços médicos que precisar, e depois solicitará o reembolso à seguradora.

Já a Assistência de Viagem, é o seguro cuja apólice prevê que a seguradora paga por todos os serviços e o viajante não precisa desembolsar nenhum valor.

Nós sempre recomendamos a contratação de uma assistência de viagens, pois por mais que haja o reembolso depois, ter que desembolsar uma quantia durante a viagem pode ser um transtorno, principalmente no caso de ser uma despesa hospitalar mais alta.

Seguro de Cartão de Crédito ou Convênio Médico Brasileiro

Alguns cartões de crédito oferecem seguro de viagem para seus clientes que compram a passagem usando seu cartão. Se este for o seu caso, verifique toda a cobertura do seguro, tenha certeza de que irá cobrir todo e qualquer problema que você e sua família venham a ter, e exija que lhe seja enviada a apólice, a qual você deve levar impressa na viagem. Tenha também registrado em local fácil de encontrar o telefone para contato para o acionamento do seguro, se necessário. 

O mesmo acontece para alguns convênios médicos aqui do Brasil, que extendem seus serviços para viagens a alguns países. Se for usar, também peça a apólice e telefone para contato.

Em ambos os casos, entenda com antecedência se a cobertura é por reembolso ou se o pagamento das despesas será feito por eles.

Contratação do Seguro

Quando for contratar seu seguro, verifique sempre a cobertura que ele oferece. As seguradoras oferecem desde pacotes mais básicos até super completos, que normalmente abrangem:

  • Atendimento médico e odontológico
  • Despesas farmacêuticas
  • Cobertura para interrupção da viagem em caso de emergência médica
  • Hospedagem pós alta hospitalar quando o segurado não puder viajar logo em seguida
  • Remarcação de passagem
  • Repatriação médica e funerária
  • Assistência funeral
  • Indenização no caso de morte
  • Indenização no caso de invalidez permanente ou total
  • Localização e indenização de bagagem extraviada
  • Despesas jurídicas
  • Pagamento antecipado de fiança
  • Entre outros

Na contratação é definido também o valor de cobertura, que fica a critério de cada viajante. Porém, para pessoas com algum problema de saúde e que tenham maior probabilidade de precisar de um atendimento médico ou hospitalar, é altamente recomendado contratar uma cobertura maior.

Qual o tempo de vigência?

Os seguros são normalmente contratados para o tempo de viagem – da data da ida até a data da volta. Porém uma boa dica também é contratar por um ou dois dias a mais para garantir a cobertura no caso de algum cancelamento de vôo ou contratempo que venha a adiar a volta.

Muitas seguradoras permitem também extender o prazo do seguro durante a viagem. Mas normalmente esta solicitação deve ser feita antes do último dia de viagem… ou seja, difícil de prever no caso de cancelamento de vôos, por exemplo.

Como escolher a seguradora?

Existem ótimas seguradoras no mercado, e uma simples pesquisa na internet já te dará acesso à maioria delas. Se você tem um agente de viagens de confiança, ele também saberá te indicar as melhores.

Nós aqui do Família Viajandona indicamos a Mondial Assistance e também a Travel Ace, que além de ótimas coberturas e atendimento, tem preços bastante atrativos.

Eu só falo Português… e agora?

Contratando o seu seguro aqui no Brasil, provavelmente o atendimento telefônico será em Português. Porém na hora do atendimento médico, não terá como fugir do inglês (ou outra língua). Normalmente nos hospitais eles tentam sempre acionar um profissional que fale pelo menos espanhol. Mas se não acontecer, fique tranquilo, comunique-se da maneira que puder e conseguir, e tudo dará certo! Todos os profissionais estarão lá para te ajudar, falando ou não a mesma língua.

Espero que estas informações ajudem você a contratar o melhor seguro para a sua próxima viagem, e para mostrar que este é sim um gasto necessário!

A gente nunca sabe quando pode ficar doente, ou quando vai ter algum acidente ou contratempo… e experiências como estas fora de casa, em outro país, são muito mais complicadas – e às vezes mais assustadoras.

E você, já teve alguma experiência com a utilização de Seguros / Assistências de Viagem? Conta pra gente aqui nos comentários!!!

Doctor-Mickey-psd49569

 

Faça aqui sua cotação de seguro com a Mondial Assistance
Faça aqui sua cotação de seguro com a Travel Ace

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um comentário em “Seguro de Viagem: porque não dá pra ficar sem?”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.